17/04/2019

Elvas - Badajoz - Olivença - 29 e 30 de Maio


Actuação dos Grupos de Teatro e Cantares Tradicionais no Teatro Cine de Torres Vedras - 28 de Maio


Viagem aos Picos da Europa - 18 a 22 de Maio


Fundação Calouste Gulbenkian - Concerto: Tempos Modernos - 17 de Maio

 

Vendas Novas - 16 de Maio


Encontro de Grupos Musicais das Universidades Seniores do Oeste na Benedita - 14 de Maio


Rota Cister - Lamego - 11 a 13 de Maio


Documentário sobre o Museu do Papel - 10 de Maio


Palestra - Avieiros, os nómadas do rio - Prof. Joaquim Moedas Duarte - 9 de Maio


Fórum das Associações de Torres Vedras - AUTITV - 4 de Maio


Aula Aberta de Pilates - 2 de Maio


10/04/2019

Passeio da AUTITV no Alto Alentejo


Nos dias 7 e 8 de Abril de 2019, um grupo de cerca de 30 elementos da AUTITV fez um passeio ao Alto Alentejo que teve com objectivo principal o contacto com a natureza e o nosso património histórico. 

No primeiro dia saímos de Torres Vedras em direção a praia fluvial do Alamal no concelho de Gavião, num dia cinzento e chuvoso que ainda assim não nos desanimou. Caminhámos no passadiço do Alamal com o imponente castelo de Belver sempre a observar-nos, altaneiro, da outra margem do Tejo. O chuvisco impediu-nos de fazer um pequeno cruzeiro no rio, mas desfrutámos de um excelente almoço de peixinhos do rio no restaurante da praia fluvial. A seguir, visitámos o castelo de Belver, um dos mais completos castelos da arquitectura militar medieval portuguesa. 

Castelo de Vide, denominada a “Sintra do Alentejo” pelo rei D. Pedro V, foi a paragem seguinte. Ai, encontrámos um guia apaixonado pela sua cidade e um profundo conhecedor da história da importante comunidade judaica que se instalou nessas vilas fronteiriças do Alto Alentejo depois da expulsão de Espanha em 1492 pelos reis Católicos. 

Passámos a noite em Alpalhão, pequena vila típica alentejana. 
No dia seguinte, a caminho de Marvão, subimos à Ermida da Nossa Senhora da Penha, sobranceira à bonita vila de Castelo de Vide; dai pudemos desfrutar de uma magnífica vista panorâmica sobre toda a paisagem envolvente. O esforço valeu a pena! 
Em Marvão, uma das mais belas vilas fortificadas do Alentejo, situada em pleno parque natural da Serra de São Mamede no topo da serra do Sapoio, percorremos as ruas de calçadas estreitas e íngremes até o castelo do século XIII que domina toda a região. 
À tarde, visitámos o Fluviário de Mora dedicado aos ecossistemas de água doce, situado no Parque Ecológico do Gameiro. 
A caminhada no passadiço do Cabeção, num fim de tarde quente e soalheiro, sempre ao longo do rio Raia, foi o ponto final deste passeio que privilegiou o contacto com a natureza. 


(Alcinda Leal e Christiane Boeckx-Bray)








09/04/2019

Feliz Páscoa

Férias da Páscoa - 5 a 22 de Abril, inclusive.

05/04/2019

PALÁCIO BEAU – SÉJOUR e BAIRRO GRANDELA


Em 1851, António José Leite Guimarães(1806-1876), barão da Glória, adquiriu a Quinta do Beau – Séjour à sua proprietária D. Isabel Allen Pombeiro, 2ª condessa da Regaleira, que a tinha herdado da sua tia, a viscondessa da Regaleira, D. Ermelinda Allen Monteiro de Almeida. 
Do conjunto agrícola e habitacional, chegou até aos nossos dias este palácio segundo o modelo romântico parisiense e o jardim envolvente , que o barão da Glória, capitalista emigrado no Rio de Janeiro, mandou embelezar revestindo-o de azulejos de estampilha da Viúva Lamego. 
Em 1876, foi herdado pelos sobrinhos do referido barão, Maria da Glória Leite (1854-1938) e José Leite Guimarães (1853-1915), que continuaram a campanha de embelezamento, agora dirigida por Francisco Vilaça (1850-1915), entre 1887-1892, e que transformou esta casa de veraneio num verdadeiro espólio museológico. 
Ao percorrer as diferentes salas , contemplámos obras de uma geração de artistas, onde sobressaem os trabalhos dos irmãos Columbano Bordalo Pinheiro (1857-1929), Maria Augusta Bordalo Pinheiro (1840?–1915), Rafael Bordalo Pinheiro (1846–1905), o entalhador Leandro Braga (1828–1897) e outros elementos do chamado Grupo do Leão. 

BAIRRO GRANDELA 
Ao percorrer o jardim do Palácio Beau Séjour e espreitando pelo seu gradeamento,do outro lado da rua, víamos as duas fachadas em forma de pórticos neoclássicos, que constituem a frente do Bairro Grandela, edificado entre 1902–1910 pelo industrial Francisco Almeida Grandela, com 90 habitações e destinadas aos seus empregados. 
Os dois grandes edifícios, antiga Escola e antiga Creche, hoje Forum Grandela e Casa da Cidadania, continuam a ter no frontão a estrela, insígnia do Grandela, e a sua divisa “sempre por bom caminho e segue”.
(Maria Rita Sarreira)

Encontro de Universidades Seniores do Oeste em Fátima

No dia 3 de Abril, as Universidades Seniores do Oeste estiveram em Fátima, no Encontro, organizado pela Universidade Sénior da Benedita.
Às 10h30, na Capelinha das Aparições, a Missa de Acção de Graças foi celebrada pelo Pároco de Pataias. O Coro da US da Benedita acompanhou o acto litúrgico com os cânticos que todos foram entoando.
A cerimónia finalizou com a Benção dos Estandartes junto da imagem de Nossa Senhora de Fátima. Foi um momento emotivo de cumplicidade acompanhado pelos cânticos: "Mãe, olha para mim" e "Avé de Fátima".
O almoço no Restaurante D. Nuno , em Minde, foi servido num espaço muito aprazível a todos os níveis. A organização está de parabéns.
A tarde foi preenchida por um tempo de animação musical e de um lanche.
É de referir que todo o espaço circundante era preenchido de recantos relvados e floridos onde não faltava o murmúrio da água da cascata que convidava ao descanso e meditação dos que pretendiam "fugir" ao som mais frenético da música.
Foi um dia de convívio sénior a repetir.
(Manuela Estêvão)

03/04/2019

Rastreio Visual na AUTITV

Durante a manhã do dia 2 de Abril de 2019, realizou-se na AUTITV mais um rastreio visual, a cargo das ÓTICAS- OCT, uma oportunidade para os alunos desta Universidade Sénior poderem avaliar, com técnicos profissionais, as suas capacidades oftalmológicas.

Os agradecimentos da AUTITV à equipa da OCT.


01/04/2019

Assembleia Geral - 01.04.2019



Realizou-se hoje a Assembleia Geral Ordinário da Associação para a Universidade da Terceira Idade de Torres Vedras, com a seguinte ordem de trabalhos:

  1. Apreciação e votação do Relatório e Contas do ano de 2018 e Parecer do Conselho Fiscal;
  2. Apreciação e votação das alterações efectuadas aos Estatutos e Regulamentos da Associação e da Universidade;
  3. Outros assuntos de interesse para a Associação.
Os trabalhos tiveram início pelas 15h e a sessão foi encerrada às 17h









VISITA DE ESTUDO AO FORTE DE S. VICENTE - 29 de Março



O estudo da cidade baseado na toponímia , iniciado o ano passado , foi realizado por três grupos de Trabalho, o A (as Águias) o B (os Besouros) e o C ( os Castores). 
Ao grupo dos castores calhou a parte periférica norte, onde se situam as referências às Linhas de Torres Vedras, com a Rotunda de Welington ( doc nº 4) , a rua das Linhas de Torres Vedras (doc nº 6) e o forte de S. Vicente (doc nº 7).
Foi propósito do grupo prosseguir o estudo no local com um percurso até ao forte, estudo que não chegou a ser realizado em 2018, ficando o propósito de continuar o trabalho no próximo ano. 
Os documentos referidos, 4º, 6º e7º, na altura baseados em bibliografia sobre o tema, foram este ano completados com uma visita de estudo ao forte de S. Vicente, onde foi possível obter informações complementares, através da exposição de documentos visuais completada com a explicação do guia sobre os mesmos, e pelo filme documental que nos foi exibido. 
A visita proporcionou-nos um melhor entendimento do que foi a situação de guerra passada nesta região há dois séculos atrás. 
Fora do centro interpretativo e até lá chegar, fomos apreciando a paisagem, com acentuada orografia de caraterística mediterrânica, conforme com o que temos vindo a verificar na matéria das últimas aulas deste ano. 
Pena é, diz a professora da disciplina, que os alunos que foram a esta visita de estudo, não tenham sido os mesmos que realizaram o trabalho o ano passado. De qualquer forma remete-se para a leitura dos documentos 4º, 6º e 7º do grupo C (os castores) acima referidos e constantes no trabalho do ano passado. 
Relatado pela professora da disciplina, Palmira Cipriano Lopes

Visita de estudo a Lisboa - 28 de março/19


Voltámos à rota de Fernando Pessoa, desta vez sob o olhar ficcional e crítico de Saramago, na obra 

"O ANO DA MORTE DE RICARDO REIS"

O caminho fez-se subindo, numa tarde de calor e muito movimento citadino, com a inicial e única pausa na CASA DOS BICOS onde nos foram fornecidas breves informações sobre a vida, obra (48 livros editados) e objectivos da FUNDAÇÃO SARAMAGO que, desde 2008 se propõe promover a cultura e a participação cívica e defender o meio ambiente e os direitos do homem.

Voltámos cansados mas mais sabedores.

Bem hajam!
(Odete Bento)