20/12/2009

Basílica da Estrela



No dia 17 de Dezembro um grupo de alunos da Autitv visitaram a Basílica da Estrela, num passeio organizado pela doutora Rita Sarreira. O principal objectivo desta viagem era conhecer o presépio, atribuido a Machado de Castro, existente nesta igreja. Túmulo de D.Maria I
Aproveitámos também para observar esta igreja barroca, mandada construir pela rainha D.Maria I que aqui está sepultada.






Presépio atribuido a Machado de Castro



Este presépio em terracota policromada é uma obra de referência nacional do século XVIII (cerca de 1782/83). Tem um total aproximado de 500 figuras e encontra-se montado numa estrutura de madeira e cortiça. Tal como nos outros presépios barrocos tem representados seis monumentos:a Natividade como cena central,a Adoração dos Reis Magos; a adoração dos pastores e populares,o Cortejo Régio, a anunciação aos pastores e a Matança dos Inocentes.
O espaço restante é preenchido por figuras do povo em cenas da vida quotidiana. Cinco nuvens estão suspensas com anjos e querubins.


A matança do porco, uma das muitas cenas da vida quotidiana representadas neste presépio de Machado de Castro da Basílica da Estrela.

17/12/2009

A AUTITV deseja a todos as Boas Festas


Boas Festas à família AUTITV - Aguarela da Professora Manuela Reis




Revista Caminhar - Edição n.º 10




Aquele Pai Natal!

“Aquele” Pai Natal que descia pelas nossas chaminés, e por cujas prendas as mães nos convenciam a comer a sopa toda... afinal era mesmo de verdade!!
Eu tinha a certeza, e continuarei a ter!!
Ainda no ano passado lá apareceu ele no Jantar de Natal da nossa Universidade com os seus presentes.
Houve alguém que (por graça, decerto) lhe chamou o nome de um colega nosso, mas eu conheci-o bem: era o autêntico Santa Claus!!
Feliz Natal de 2009!


Teresa Sarzedas

Instituições da nossa Terra

Às vezes, com as pressas do dia a dia, não nos apercebemos da existência de certas Instituições Culturais da nossa terra. Conhecerão, caros leitores, a Associação Leonel Trindade – Sociedade de História Natural?
Está sedeada em Torres Vedras na Rua Cavaleiros da Espora Dourada. É uma organização científica sem fins lucrativos e que desenvolve estudos paleontológicos e paleobiológicos sobre vertebrados fósseis. Um dos seus objectivos é a promoção do património geológico da região Oeste mas desenvolve outras iniciativas no domínio da investigação científica e actividades pedagógicas.
Possui uma biblioteca especializada em vários temas com especial destaque para a paleontologia de vertebrados.
A gestão, organização, investigação e tudo o mais que ali é desenvolvido é fruto de acções de voluntariado e de algum mecenato.
Pertencente a esta Associação, e em pavilhão cedido pela empresa Ângelo Custódio Rodrigues, SA, está instalado no Polígono Industrial do Alto do Amial (Ramalhal) o Laboratório de Paleontologia e Paleoecologia que possui as competências técnicas e científicas adequadas para a investigação e gestão de património paleontológico.
Foi a este Laboratório que um grupo de cerca de trinta alunos da AUTITV se deslocou, a 10 de Dezembro, numa visita de estudo sugerida e acompanhada pela professora de História Local, Rita Sarreira
Foram observados membros esqueléticos fossilizados de animais que viveram há mais de 150 milhões de anos e através dos esclarecimentos prestados pelo Licenciado em Geologia Bruno Piteira ficou-se a saber muito acerca de prospecções, escavações, preparação e conservação dos esqueletos encontrados. Exige cuidados lidar com um fóssil. Há que retirar cuidadosamente a terra, fazer furos, colocar estacas, suportes, papel e outros materiais. É uma ciência.
Os fósseis em estudo neste Laboratório, provenientes essencialmente de dinossauros encontrados no concelho de Torres Vedras, depois de devidamente identificados, apelamos para que talvez um dia possam estar expostos num museu desta cidade.

Joaquim Cosme

Visita ao Museu da Lourinhã


No dia 3 de Dezembro fomos ao Museu da Lourinhã. (situado na vila da Lourinhã) fundado em 1984 pelo Grupo de Etnografia e Arqueologia da Lourinhã, numa Associação sem fundos lucrativos, cuja sobrevivência depende essencialmente do público que o visita.
Pudemos observar exposições temáticas, cujo espólio é oriundo das dádivas da população e de trabalhos de campo distribuindo-se por quatro secções: Arqueologia (salientamos a estátua – menir do calcolítico encontrada no Reguengo Grande), Arte Sacra, Etnografia e o recente Pavilhão de Paleontologia.
Nas três primeiras secções, acompanhados por um guia recordámos alguns dos instrumentos (nossos conhecidos) usados nos séculos XIX e XX e, que fizeram parte da vida quotidiana dos agricultores, dos industriais, dos comerciantes e até brinquedos de madeira que lembram a nossa meninice e fizeram as nossas delícias!
Mas a principal atenção concentrava-se no pavilhão de Paleontologia. Aqui se encontra a maior colecção ibérica de fosseis dinossauros do Jurássico Superior, imaginem… há 150 milhões de anos muitos deles percorreram as nossas terras do Oeste!
À nossa espera estava a Dra. Sílvia Padrão, que brilhantemente (própria dos que amam o seu trabalho) explicou cada uma das réplicas expostas, chamando a atenção para os achados correspondentes que se encontram nas vitrinas, salientando sempre as características morfológicas e seu significado e, ainda as características ambientais da nossa terra nesta época.
Destacou os vestígios de: dinossauros carnívoros como o lourinhanosaurus Antunes, de gigantesco dinossauro herbívoro dinheirosaurus lourinhanenssis (encontrado em Porto Dinheiro) e dos vários ossos fósseis de dinossauro carnívoro contendo os mais antigos embriões de dinossauro de todo o mundo e o segundo maior conhecido com mais de cem ovos.
Muitos destes dinossauros são únicos exemplares conhecidos destas espécies. Também pudemos observar fósseis de diferentes invertebrados, peixes, crocodilos, tartarugas, mamíferos, pegadas de dinossauro e a espuma de uma onda.
Esta nossa visita para muitos de nós serviu para completar os conhecimentos já adquiridos na aula de História Local.
Maria Rita Sarreira

Jornadas de Exercício e Saúde

Com coordenação da professora de Ginástica de Manutenção, Tânia Andrade Santos, realizaram-se na nossa Universidade nos dias 27 e 28 de Novembro as Jornadas de Exercício e Saúde.
Depois da apresentação das saudações e cumprimentos de boas vindas por Manuela Estêvão, Presidente da Direcção da AUTITV, iniciou a sessão a Nutricionista Rita Almeida que abordou o tema “A Nutrição na Actividade Física” e a seguir o Licenciado em Exercício e Saúde Pedro Gonçalves que escolheu o tema “Osteoporose”.
Cada um apresentou os seus conhecimentos e experiências acerca dos temas escolhidos e depois em diálogo com a assistência foram abordando questões relacionadas com obesidade, osteoporose, hipertensão, reumatologia, insónias, depressão, prisão de ventre, enfim, tudo o que vai atormentando diariamente os alunos desta Universidade.
No segundo dia foram oradores o Médico Francisco Crespo com o tema relacionado com Actividade, Mobilidade e Alimentação – influência nas doenças vasculares, o Licenciado em Educação Física Pedro Medeiros que se debruçou sobre Patologias da Coluna Vertebral e a Licenciada em Aptidão Física e Saúde Tânia Andrade Santos que escolheu o tema Qualidade de Vida e Autonomia Funcional do Idoso.
A assistência mostrou-se interessada e tal como no dia anterior foram apresentadas algumas questões aos conferencistas e por estes rapidamente esclarecidas. Chamaram a atenção para os cuidados a ter com as desidratações, com o controle regular da tensão arterial, com as gorduras, com o açúcar ou com a inactividade que por estranho que pareça pode causar doença.
Seguiu-se um lanche. Um lanche saudável como se aconselhava para encerrar umas jornadas com estes temas. A ementa foi elaborada pela Nutricionista Rita Almeida. Nada de vinhos nem cervejas nem outras bebidas alcoólicas. Havia sumos e chás. Ah! Aquele pão de mistura ou as espetadas de tomate e queijo!

Fardas & Farpas


Foi o nome dado à narrativa histórico/burlesca apresentada no nosso auditório no passado dia 26 de Novembro.
Respondendo ao convite da C.M de Torres Vedras feito à AUTITV, para colaboração no Bicentenário das Linhas de Torres, as duas Oficinas de Escrita desta Universidade levaram a efeito uma actividade sobre este tema.
Nesta narrativa desfilaram as “Fardas”, isto é, os perfis de Napoleão, Junot, Soult, Massena e outros, através do saber e dom de palavra do Dr. Manuel Granada que deliciou a assistência com detalhes históricos não divulgados em manuais.
Toda esta descrição foi oportunamente ilustrada pelas “Farpas”, poemas satíricos, elaborados na oficina “De Palavra em Palavra” pela Dra. Odete Correia Lopes, Dra. Teresa Sousa Dias e Teresa Sarzedas. Em simultâneo, foi passado um fundo informativo visual/musical, em Power Point, para o qual tivémos a preciosa ajuda da nossa Catarina da secretaria.
Com a colaboração de colegas e alguns membros da Direcção, que muito simpaticamente se prontificaram a participar, terminámos esta matinée com quadras populares, escritas para o efeito por autores anónimos da AUTITV.


Teresa Sarzedas

O Museu veio até nós - aula de história local

Foi uma aula diferente que os alunos de História Local tiveram no dia 26 de Novembro. Decorreu no período normal de cinquenta minutos mas neste curto espaço de tempo abarcou milhares e milhares de anos.

Por iniciativa da professora da disciplina, Rita Sarreira, técnicos do Museu Leonel Trindade da área de Arqueologia vieram até à Universidade para falar dos vestígios do Paleolítico e dos princípios do Neolítico encontrados na nossa região.
Pedras roladas ou aguçadas, pedaços ou lascas de sílex, machados, raspadores, furadores, agulhas, arpões, pontas de seta passaram sob os nossos olhos e pelas nossas mãos, talhados, há muitos milhares de anos, por outras que através da técnica de percussão foram capazes de fabricar estes rudimentares utensílios que lhe permitiam executar tarefas simples como cortar, esfolar, talhar, raspar…
Muito interessante foi também a linguagem clara e compreensível utilizada na exposição que indiciava, para além dos conhecimentos o prazer de os partilhar.

Quando não se vai à montanha, ou antes, quando não se vai ao Museu, vem o Museu até nós.

16/12/2009

Despedida

No rosto cansado
No adeus abraçado
Em hora esquecida

No eco dos passos
Na alma em pedaços
Deixei despedida

Na noite deserta
A lágrima incerta
Foi gota caída

E a rua molhada
Ouviu em segredo:
-Não chores,eu volto
Tão logo, tão cedo.

Maria do Espírito Santo Miranda

O colega Andrade enviou as boas festas




A Actividade Sénior agradece e retribui as Boas Festas ao nosso colega Andrade e felicita-o pela sua criatividade.

11/12/2009

Slideshow com fotos de Torres Vedras



Trabalho realizado pelo grupo de blogues, nos seus encontros de 5ªfeira

10/12/2009

Exposição de Presépios


Exposição na Ericeira , até 8 de Janeiro.Alguns trabalhos expostos são da autoria de alunos e professores desta escola

Decorre até 6 de Janeiro no Sobral de Monte Agraço uma exposição de presépios em que participam alguns dos nossos colegas e professores