16/12/2009

Despedida

No rosto cansado
No adeus abraçado
Em hora esquecida

No eco dos passos
Na alma em pedaços
Deixei despedida

Na noite deserta
A lágrima incerta
Foi gota caída

E a rua molhada
Ouviu em segredo:
-Não chores,eu volto
Tão logo, tão cedo.

Maria do Espírito Santo Miranda

2 comentários:

Leandro Guedes disse...

Muito obrigado pela dedicação, pelo empenho, pelo trabalho, pelo sorriso. Estamos todos agradecidos.
Um beijinho
Leandro Guedes

Joaquim Cosme disse...

No fim do poema diz que volta "tão cedo".
Espero bem que não demore.
Joaquim Cosme