10/04/2018

Reunião de dirigentes das Universidades Seniores do Oeste - Alcobaça


Realizou-se no dia 6 de Abril, em Alcobaça, a reunião de dirigentes das Universidades Seniores  do Oeste, que iniciou com a leitura e aprovação da acta da reunião anterior, realizada no dia 2 de Março de 2018, seguida da avaliação do VII Encontro de Poesia que teve lugar na Nazaré, em 13 do passado mês de Março.
A reunião prosseguiu com informações prestadas pelas representantes da UTI da Benedita, sobre o próximo evento (Encontro de Teatro), a realizar no dia 19 de Abril.
A finalizar, foi partilhada por todos informação sobre as actividades a desenvolver durante o 3º período do presente ano lectivo.


23/03/2018

Feliz Páscoa


Centro Interpretativo das Linhas de Torres Vedras

A Professora da disciplina de "História Local", Rita Sarreira, organizou uma visita de estudo, no dia 22 de Março, ao Centro Interpretativo das Linhas de Torres Vedras.



A visita teve início no auditório, onde se assistiu a um filme / documentário que nos deu o enquadramento histórico, dando destaque à 3ª invasão do território pelo General Massena, à fuga da população devido à imposição da política de terra queimada decretada por Wellington e ao sistema defensivo a norte de Lisboa - as Linhas de Torres Vedras.


A capela de São Vicente deu o nome ao forte e alberga o Centro Interpretativo das Linhas de Torres Vedras.

A nave central e capela-mor apresentam peças museológicas, maquetes, infografias ...








19/03/2018

Torre do Tombo


Um grupo de alunos da AUTITV, deslocou-se a Lisboa, no dia 16 de Março, para uma visita de estudo à Torre do Tombo, organizada pelo professor da disciplina de "Paleografia", Zacarias Dias.


Texto João Gouveia:

"TORRE DO TOMBO - PEDRA ANGULAR DA NOSSA HISTÓRIA

No opúsculo de oito páginas, da autoria do professor Zacarias Dias, da disciplina de Paleografia está, em síntese, a historicidade autêntica da Torre do Tombo, registo de memórias de Portugal e do Mundo. Os seniores da AUTITV agradecem a oportunidade da visita e "guardam" o documento recebido.
Os principais documentos relativos à identidade histórica de Portugal estão guardados no Arquivo Nacional da Torre do Tombo, constituído a 18 de Março de 1911, a partir do arquivo Real com origem em 1378. 
No actual edifício (inaugurado em 1990) situado na Cidade Universitária, em Lisboa, encontram-se milhares de volumes, documentos preciosos e originais colecções documentais de origem pública e privada, colecções de documentos relevantes para o estudo da história comum dos territórios descobertos e países colonizados por Portugal, através de quilómetros de prateleiras distribuídas por vários pisos, entre os quais o Tratado de Tordesilhas, celebrado, em 1494, entre portugueses e espanhóis.
A Torre do Tombo original ruiu no terramoto de 1755 e, nessa altura, parte da documentação foi recolhida dos escombros e guardada numa barraca de madeira construída por ordem do Marquês de Pombal. Só no início do século XX foi permitido o acesso público aos documentos, em particular aos investigadores e historiadores.
Com a implementação do regime republicano, em 1910, começou-se a valorizar mais este espólio singular por parte da comunidade em geral. Mas, só na década de 80 do século XX é que se construíu a verdadeira estrutura/sede para acolher este grande acervo documental.
Todos os seniores da AUTITV - Universidade Sénior ficaram com o interesse de conhecer melhor o interminável arquivo com cem quilómetros de prateleiras, milhões de documentos guardados em pastas devidamente identificadas. Ficou o desejo de lá voltar!"


16/03/2018

Workshop de Canasta - 27 de Abril


Cascais - Museu Condes Castro Guimarães & Casa Santa Maria - 26 de Abril


Santarém - 20 de Abril


2º Encontro de Teatro das U. S. do Oeste - Benedita - 19 de Abril


VII Encontro de Poesia das UTIS do Oeste

No dia 13 de Março, realizou-se, na Nazaré, o VII Encontro de Poesia das UTIS do Oeste.




A AUTITV fez-se representar neste evento, com os alunos Ana Corte Real, José António Monteiro, Odete Bento, Rosário Lopes e Irene Avelar,  que apresentaram os seguintes poemas:






O Mar
O mar sente ...
A sua vida no seu fundo...
A luz do sol
O acordar do dia
As estrelas da noite negra!
Mas sente mais...
Como, um soluço arrancado pelo desespero, no meio da multidão
O choro de uma vida a nascer
Um esgar apaixonado!
O mar sente!
Sente-se a si e sente-se aos outros!

Ana Corte Real

O Mar
Deslumbro com o teu esplendor
O teu ritmo, a tua força em sintonia
Eu passeio contigo ao meu lado
Integras-te na paisagem em harmonia

Ora murmuras nos teus suspiros ora te agitas
E no teu fulgor me beijas com ternura
Vives ordenadamente em tua cadência
Dás-me abraços de constante frescura

A tua maresia é inspiração que não se esquece
Eu nu mergulho em ti, és brisa fresca e selvagem
És espelho e espuma que brilha no meu rosto
Deslumbramento e fascínio na minha imagem

De suor e lágrimas também são as tuas ondas
Dás vida e tiras vidas, capricho da tua razão
Incoerente e magnânimo na tua imensidão
Calmas marés também são fonte de prazer e evasão

Aprazível e agitado também és quando te revoltas
Com os que contigo habitam e com os que tu deixas aproximar
És uma força da natureza neste planeta imenso
A meio mundo dás alimento teu nome eu pronuncio: ÉS MAR.

José António Monteiro


Maré de Poesia
Do canto do meu terraço
Vejo o mar lá ao fundo
Oiço o pio da gaivota
Sinto o sabor do sal, 
Respirando maresia
Terra e mar em sintonia
                                        Sou navio a baloiçar...
O coração vira rota
                                        Leva-me ao fim do mundo
E em vaga de magia
                                        Embarco na poesia...
Azul e mar em abraço 
                                        Inundam o meu terraço
Hoje, de surpresa, a ordenar:
"Vai ao vento a velejar e leva, à Nazaré,
                                         Poesia na maré

Odete Bento


Tenho Saudades do Cais
Homem onde vais?
Só respondo: Tenho saudades do cais

Já tantos anos naveguei
Já tantas vezes a mim próprio me ensinei
que depois de navegar tanto no mar
porque é o dever de cada um
Só tinha um desejo e mais nenhum,
era regressar àquele Cais de Saudade
que ignora quase toda a humanidade

Já avistando as montanhas
recordando peripécias tamanhas
fiz viagem novamente
por um mar que belo acendia
a pressa grande que sentia
maior que todas as demais
é que tenho saudade do Cais!

Vi o Cais bravio e sonolento
chegando estava quando o vento
 me ensinou o Caminho a seguir
se trouxesse na mão a chave forte
que não permite dor ou morte
a chave da bonança e da vida
que cura toda a ameaçante ferida.

Ao mar só ouço suplícios
fruto dos usados malifícios
mar ainda me perguntam
quando passam por aquele cabo que se vê
Homem tens saudades do quê?
E eu gritando do Cais
Saudades não tenho mais"

Autor: Rui Santos
Declamado por sua mãe: Rosário Lopes


O Mar
Olhando o mar, eu sonhei
com a sua imensidão
navegando assim errei
procurando a solidão

Mar belo calmo e azul
Mar belo mesmo cinzento
Mar belo de norte a sul
Mar belo em qualquer momento

Sonho, olhando o ar
Vejo outro lado do mundo
E continuo a sonhar
Vejo cores
Vejo vultos
Continuo a sonhar 
Olhando o mar

Poema de: Teresa Sousa Dias
Declamado por: Irene Avelar



Palestra sobre " A Cidade de Torres Vedras"

Integrada na disciplina de "Desenvolvimento Local", realizou-se, na sede da AUTITV, no dia 15 de Março, uma palestra sobre a cidade de Torres Vedras e as suas referências toponímicas.

O orador, Dr. Nuno Patrício que está a fazer doutoramento sobre a cidade de Torres Vedras, abordou questões relacionadas, sobretudo com os Largos e Praças da cidade, especialmente no que respeita às suas designações toponímicas e àquelas pelas quais são conhecidas pela população.




14/03/2018

Visita de Estudo - discipina "Memórias e Património"

Nos dias 9 e 10 de Março, a AUTITV viajou até Amarante para uma visita de estudo à região norte, organizada pelo Professor Moedas Duarte, da disciplina "Memórias e Património", que incluiu: a Quinta da Aveleda, a Igreja Românica de Gatão, o Museu Amadeo Souza Cardoso e a Casa de Pascoaes.



A primeira paragem foi precisamente em Penafiel, na Quinta da Aveleda, para uma visita guiada àquela que é considerada uma das maiores e mais antigas empresas vinícolas do país (desde o século XVI), com uma enorme capacidade de produção e armazenamento e que exporta os seus vinhos para cerca de 70 países.
Além dos sectores de engarrafamento, da "Adega Velha" e das vinhas propriamente ditas, a visita foi ainda alargada aos seus parques e jardins, onde florescem raras espécies de árvores, algumas delas centenárias e finalizou com uma prova de vinhos e queijos produzidos pela empresa.



Após o almoço, em Paredes, o grupo dirigiu-se ao concelho de Amarante, para uma singela homenagem ao Poeta e Escritor Teixeira de Pascoaes, sepultado no cemitério da freguesia de Gatão. No seu túmulo foi colocada uma coroa de flores e junto dele o professor Moedas Duarte leu alguns excertos de textos e poemas deste importante poeta e escritor português.
Seguiu-se  uma visita guiada à Igreja Românica de São João Baptista de Gatão, situada na mesma freguesia, durante a qual foram explicados, detalhadamente, todos os elementos românicos mais expressivos existentes nesta Igreja, bem como todas as intervenções efectuadas já na Época Moderna.



Iniciámos o segundo dia de viagem, com uma visita guiada ao Museu Amadeo de Souza-Cardoso, que, conforme foi referido pelo Professor Moedas Duarte, é um  "Lugar onde se guarda a memória artística de um dos mais significativos pintores modernistas portugueses..." .  E na verdade assim é... 
As obras ali expostas são a prova dos diversos estilos artísticos que Amadeo de Souza-Cardoso abraçou e a visita foi bastante apreciada por todos.
Igualmente importante foi a visita à Igreja de S. Gonçalo de Amarante, bem como um agradável passeio pela Vila, para explorar o seu centro histórico e admirar a casa onde nasceu Teixeira de Pascoaes.



Após uma manhã bem preenchida, seguiu-se um almoço no Restaurante Zé da Calçada, em Amarante e dali prosseguimos para a última visita agendada: O solar onde viveu o grande Poeta e Escritor Teixeira de Pascoaes, desde 1913, até à sua morte, em 1952. 
Uma edificação do século XVII, situada na freguesia de Gatão, com uma vista privilegiada sobre a Serra do Marão.




13/03/2018

Workshop de Gastronomia - Páscoa


A professora Palmira Lopes, realizou na AUTITV, no dia 12 de Março, mais um workshop de Gastronomia, desta vez dedicado ao "bolo da Páscoa" (bolo enrolado) e aos "papos de anjo".

Após explicação sobre os ingredientes e a forma como o bolo da Páscoa (bolo enrolado) foi preparado, foi o mesmo colocado no forno e enquanto o bolo cozia, foram confeccionados os "papos de anjo".

Depois de tudo pronto, foram estes doces servidos aos presentes, assim como os deliciosos "brownies", confeccionados e oferecidos pela aluna Rosa de Jesus.










09/03/2018

MAAT e Museu da Electricidade

No âmbito da disciplina "História de Portugal", realizou-se uma visita de estudo ao MAT e Museu da Electricidade, no dia 8 de Março, organizada pela Professora Rita Sarreira.

Texto Manuela Estêvão:

A professora de História de Portugal, Rita Sarreira, organizou no dia 8 de Março, uma visita de estudo ao Museu da Electricidade e ao MAAT - Museu de Arte, Arquitectura e Tecnologia.
Iniciámos a visita pelo MAAT com um estilo arquitectónico muito contemporâneo da arquitecta britânica Amanda Levete que com ele "procurou moldar a margem do Tejo e religá-lo à cidade". É um espaço onde a forma, a função, a luz e a matéria desafiam o visitante.


Na Exposição: Tensão & Conflito. Arte em Vídeo regista os impactos e as consequências da crise financeira global de 2008.
Vinte e dois artistas de vários países, entre eles Portugal, retrataram as várias consequências da crise dos refugiados, do racismo, da censura e da crise grega espelhadas nos vídeos que nos foram apresentados pela guia que passou a mensagem. 
Passámos ao Museu da Electricidade muito marcante na cidade de Lisboa e um exemplo do património histórico, industrial e arquitectónico da 1ª metade do séc. XX.
A Fábrica que iluminou Lisboa - A Central Tejo (actual edifício) ficou concluído em 1919 e em 1950 era a maior central do país.
Fomos desafiados a visitar as zonas das caldeiras, a sala dos reóstatos e do tapete de distribuição do carvão, a torre misturadora e muitos pormenores da complexidade da central.
Sentimo-nos pequenos perante a grandiosidade e o sacrifício do trabalho árduo daqueles operários expostos a altas temperaturas, esforços físicos e à inalação constante de cinzas provocadas pela combustão do carvão e lenha.






Saímos maravilhados pela visita que nos deixou mais enriquecidos pelos conhecimentos que adquirimos e solidários na memória a estes heróis.



M.E.



02/03/2018

Reunião das UTIS do Oeste


Realizou-se esta tarde, pelas 14,30 horas, mais uma reunião mensal das UTIS do Oeste, desta vez na sede da AUTITV, com a seguinte ordem de trabalhos:

1. Leitura e aprovação da acta da reunião anterior
2. Planificação das actividades em conjunto
3. Outros assuntos

Além da anfitriã, compareceram nesta reunião os dirigentes das UTIS de Alcobaça, Benedita, Nazaré, Pataias e Peniche, tendo sido discutidos aspectos importantes relacionados com os eventos a realizar brevemente, designadamemte, o VII Encontro de Poesia que terá lugar na Nazaré, no dia 13 de Março e o II Encontro de Teatro a realizar na Benedita, no dia 19 do próximo mês de Abril.

A próxima reunião realizar-se-á em Alcobaça, no dia 6 de Abril de 2018.



Assembleia Geral


No dia 1 de Março, de 2018, pelas 14.30 horas, realizou-se na sede da AUTITV, a Assembleia Geral Ordinária, com a seguinte ordem de trabalhos:

  1. A presentação do Relatório das Actividades desenvolvidas durante o ano de 2017;
  2. Apresentação e votação do Relatório e Contas do ano de 2017 e Parecer do Conselho Fiscal;
  3. Outros assuntos de interesse para a Associação. 


 O sócio João Gouveia, presente nesta sessão, elaborou o seguinte artigo de opinião:


"A Assembleia Geral da AUTITV, realizada a 1 de Março de 2018, na sede da associação, aprovou, por unanimidade, o Relatório e Contas referente ao ano 2017. Os pontos agendados mereceram plena aprovação, sem interpelações dos associados.
A veracidade e vitalidade da AUTITV expressam-se por uma rigorosa gestão e critérios de inovação/dinamização, em benefício comum. São estes os pilares, explícitos no Relatório e Contas, que dão garantias de crescimento e de evolução a todos os níveis associativos.
Realce para a exposição minuciosa das actividades desenvolvidas pela AUTITV, durante o ano de 2017, a cargo da presidente da direcção, Manuela Estêvão, pondo tudo ao corrente dos associados. "Há sempre o amanhã", observou, para fundamentar objectivamente que "temos de ter sempre metas para o dia seguinte", porque "as actividades funcionam como uma roda vida, corrida no tempo sinal de felicidade", sublinhou. 
Numa Assembleia que tem por fundo o Relatório e Contas tudo é transparente. A questão financeira é "ponto de honra" e neste capítulo, a AUTITV está saudável, graças à exigência imposta pela idónea, dinâmica e experiente direcção. As despesas estão rigorosamente em correspondência com as receitas o que, no mínimo, confere tranquila estabilidade financeira".
Em síntese: Nada melhor do que ler o Relatório e Contas (com cerca de 32 páginas) para uma melhor e mais completa informação. A AUTITV é, como alguém dizia "a maior e a mais dinâmica associação cultural de Torres Vedras".
Todos Seniores!"